Uma moça que deseja contar a história de seus amores e fatos do cotidiano.
Histórias desses romances que todos nós vivemos. Ora amores, ora desamores.

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Término

Conheço histórias de conhecidos e amigos.
Escuto falar do fulano ou beltrano.
Leio sobre isso nos blogs.

São tensos muitos dos finais de relacionamento.
Em tempos de tecnologia então... Uma mensagem de celular, watsapp, um e-mail resolve todo o problema.

Já tive um término assim. Mas não era namoro longo... Estávamos pensando se íamos assumir o romance para a família e para a sociedade.

Depois que avisei em casa que levaria o tal rapaz lá recebo um depoimento no orkut dizendo que não dava mais. Aqueles depoimentos que tínhamos que aprovar para que os amigos visualizassem.

Eu estava no serviço, toda feliz, coração irradiando amor e sorrindo para todas as pessoas que chegavam até mim.

Abrir meu perfil do orkut naquele dia foi uma das piores sensações. Eu não podia começar a chorar ali na frente do computador. 

Fui para o banheiro, fiquei sentada, chorando. Voltei. Li de novo para ver se era verdade.

O telefone dele não atendia mais.

Assim foi o término de um dos primeiros romances... aquele que faz a gente sair do chão e depois encontrar o chão.

Acho que o Xico tem toda razão quando escreve sobre  o "Macho e a falta de jeito para terminar a relação".

-----

O que acontece depois que um cara termina um relacionamento desta forma?
A moça fica ali se indagando o porquê? Qual era o problema dela? O que ele realmente não gostou? Porque não falar isso abertamente? Ser sincero?


4 comentários:

Becas disse...

Sem dúvida :x

Cláudia disse...

Obrigado por me seguires.
Sê bem vinda =)

Acabar uma relação por mensagem ou sei lá, é tão parvo =S
Mas ainda hoje vejo isso acontecer e com adultos!

Beijocas

Eduardo Montanari disse...

As vezes, dependendo do jeito que as coisas terminam é até melhor, porque acabamos vendo que a coisa era meio unilateral. No final das contas, não chegou a ser romance ou amor. Não sei se ainda acredito no amor, em me apaixonar, mas o que sei é que, se tais coisas existem de fato, não tem finais como esse.

Teresa Poças disse...

Gosto do conceito do blog! Irei acompanhar :)
Obrigada pelo comentário! Tenho muitos poemas sobre amores e desamores mesmo que não seja totalmente explícito! Um abraço